14 março, 2008

Chineses, tirem suas garras do Tibete

Posted in saúde tagged , , , às 1:45 pm por Marcelo Guerra

 14_mhg_mun_tibet02.jpg

A violência marcou, nesta sexta-feira, o quinto dia de manifestações contra a China em Lhasa, capital do Tibete ocupada pelos chineses desde 1951. Os soldados do Exército de Libertação Popular enviados à região pelo governo chinês tentaram conter os manifestantes liderados por cerca de 500 monges budistas. Segundo testemunhas, lojas e carros foram incendiados. As forças de segurança usaram bombas de gás e tiros foram ouvidos. A nova onda de protestos já é considerada a maior desde 1989 – quando o governo de Pequim decretou lei marcial no Tibete após protestos contra a repressão chinesa – e preocupa a China a menos de cinco meses das Olimpíadas de Pequim.

As manifestações, que já se espalharam para outras regiões da China onde vivem muitos tibetanos, começaram na segunda-feira para lembrar o 49º aniversário da frustrada revolta contra o governo comunista chinês, pela independência do Tibete. Nos últimos dias, diversos mosteiros foram cercados por soldados.

– A polícia está em todos lugares – disse o dono de um café de Lhasa por telefone. – Há grandes problemas.

Segundo a rede “CNN”, a violência foi detonada, nesta sexta-feira, quando o Exército tentou conter uma manifestação pacífica de monges no templo de Ramoche. Os carros e lojas incendiados seriam de chineses do grupo étnico Han, predominante na China.

– Alguns estão bravos e outros assustados. As forças de segurança estão vasculhando as casas para ver se há monges escondidos – disse uma fonte que mantém contato com moradores do Tibete.

Os novos protestos começaram na segunda-feira. Uma segunda grande marcha aconteceu na terça-feira, mas foi sufocada pelo Exército chinês que, de acordo com uma rádio, chegou a prender um grupo de monges.

Centenas de monges do mosteiro de Labrang na província de Gansu, sudoeste do país, promoveram uma marcha até a cidade de Xiahe, segundo a Free Tibet Campaign, citando fontes de Dharamsala, sede do governo tibetano no exílio. Mais de 10 monges foram presos e tanques patrulham a praça próxima ao palácio Potala, uma das maravilhas arquitetônicas do mundo que já foi a residência de inverno do líder espiritual tibetano Dalai Lama.

O Tibete, localizado no sudoeste da China, próximo à fronteira com Nepal, Butão e Índia, era um Estado religioso independente até o final da década de 50, quando as forças de Mao Tsé-Tung invadiram e anexaram a região à China. O então Dalai Lama teve de fugir para a Índia e até hoje vive no exílio, de onde luta pelo reconhecimento da independência do território.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: