25 dezembro, 2010

Curso de Biografia Pessoal em São Paulo

Posted in antroposofia, saúde às 3:39 pm por Marcelo Guerra

Olhar para frente e planejar o futuro!



O início do ano é uma época propícia para as resoluções que trazem um nova forma de ver o que estamos fazendo e o que podemos fazer para que sejamos mais felizes. Através do Panorama Biográfico, você poderá rever a sua história sob um ponto de vista do todo até o momento presente. Esta visão panorâmica de sua biografia lhe permitirá perceber o sentido que permeia e organiza os fatos mais importantes que você viveu. Conhecer este sentido é o primeiro passo para planejar os seus próximos passos de uma maneira coerente com ele. O sentido é o fruto de nossas aspirações mais profundas. Quando agimos de acordo com nossas aspirações, aliviamos a angústia e a depressão, e podemos crescer como pessoas. Este é um trabalho cujo maior benefício é poder planejar o futuro de acordo com ‘quem sou eu’ ao invés de ‘li um livro que diz que devo ser assim’. Reconhecer suas qualidades únicas e trabalhar o seu desenvolvimento a partir delas é o objetivo do Panorama Biográfico.

Público-alvo: Adultos que buscam o auto-desenvolvimento de uma forma profunda e individualizada.

Coordenadores:

  • Rosângela Cunha

Psicóloga, Gestalt-terapeuta e Terapeuta Biográfica

  • Marcelo Guerra

Médico Homeopata e Terapeuta Biográfico

Formados pela Escola Livre de Formação Biográfica de Minas Gerais

(Membro do International Trainers Forum em conexão com a General Anthroposophical Section of the School of Spiritual Science do Goetheanum – Dornach/Suiça).

Local:

  • Em São Paulo, no Centro Paulus, R. Amaro Alves do Rosário 102, Parelheiros, São Paulo, SP.

Data:

  • 6 a 9 de janeiro de 2011.

Preço:

  • R$1.040,00, em quarto individual;
  • R$1.226,00, em suíte individual.

O preço inclui a hospedagem na acomodação escolhida e todas as refeições durante o curso. A inscrição é efetivada com o depósito de R$200,00 e o restante deverá ser pago durante o curso com 4 cheques pré-datados. Não haverá devolução da taxa de inscrição em caso de desistência. Nos reservamos o direito de cancelar o curso se não houver o número mínimo de inscritos.

Para mais informações:

Escreva para dao@daoterapias.com.br ou telefone para (11)6463-6880.

As turmas são necessariamente pequenas devido à profundidade do trabalho. Não deixe para última hora.

Faça sua inscrição online, clicando aqui.

Anúncios

11 dezembro, 2010

Você gosta de Natal em família?

Posted in saúde às 9:46 am por Marcelo Guerra

Marcelo Guerra

Reflita se você escolhe onde passar essa data por prazer ou obrigação

Fim de ano, época de festas, confraternizações, alegria e, para muitos, aborrecimentos. Os dias que antecedem o Natal trazem a necessidade de tomar decisões aparentemente triviais, mas que podem trazer problemas para o próximo ano inteiro. Decidir que presente vai dar para quem talvez seja o mais fácil de resolver. Decidir onde vai passar a noite de Natal e o almoço de Natal é a decisão mais arriscada, principalmente para adultos que já construíram uma nova família, além de sua família original.

Tradicionalmente o Natal é considerado como a festa para se passar em família. É aí que entra a questão: qual família? A que você construiu pelo casamento ou morando com alguém? A família em que você nasceu e foi criado? A família da pessoa com quem você construiu uma outra família? Quem não casou não está isento desse conflito, porque muitas vezes os amigos formam um grupo tão ou mais coeso que uma família, e nessa hora esse grupo também entra no rol de possibilidades.

Há alguns momentos dessas 48 horas (dias 24 e 25) que são mais importantes que os outros? Ou seja, há um horário nobre do Natal? A maioria das pessoas tende a considerar a noite de 24, até a meia-noite, como a apoteose da festa. Por conta disso, este é o momento mais crucial para decidir.

Um exemplo comum é o de um casal com filhos cujos pais são vivos. Vão passar o Natal em sua própria casa, com seus filhos? Vão para a casa dos pais do marido? Para a casa dos pais da esposa? Vão juntar todo mundo? Vão passar a noite de 24 com os pais de um e o almoço de 25 com os dos outro? E os cunhados e cunhadas, vão poder ajeitar seu horário de forma que coincida com os seus?

Decisão difícil… O difícil não é decidir onde você vai passar a noite de 24, mas onde vai deixar de passar. Cobranças, reclamações, mágoas… Prepare-se, elas virão de algum lugar.

Por que muitos de nós precisam sentir-se prestigiados pela escolha dos filhos em passar a noite de Natal em nossa casa? O que representa um filho não vir para a noite de Natal? Ele me ama menos? A família em que ele foi criado é menos importante para ele do que a família que ele construiu? Por que me sinto menos por ele não vir na noite de Natal? Por outro lado, por que sinto mais obrigação do que prazer em passar o Natal com os meus pais ou os meus sogros? Por que sinto tanto medo de magoar?

Mágoas guardadas

Como em todo relacionamento, a dificuldade de comunicação é um pedregulho no sapato. Deixamos de falar o que pensamos e, principalmente, o que sentimos, com medo de magoar, com medo de ser mal interpretados. Muitas vezes, pequenos problemas que não são falados, vão crescendo dentro de nós até o dia em que ou explodimos ou evitamos o contato. Numa data como o Natal, na qual as pessoas podem sentir-se obrigadas a estar juntas, é natural que esses sentimentos e mágoas que carregamos no bolso do coração entrem em ebulição novamente, causando mal estar. Sem dúvida, este não é o melhor momento para trazer à tona assuntos tão delicados que vêm sendo escondidos ou cultivados com pitadas de ressentimento, raiva, incompreensão, intolerância. Porém é possível dizer o que você sente em relação a uma situação que se apresente no momento, tomando o cuidado para não contaminar com as mágoas escondidas. Expressar o que você sente é o primeiro passo para estabelecer ou melhorar uma relação familiar. Não confunda expressar seus sentimentos com o muro das lamentações! Dizer o que você sente não lhe exime das suas responsabilidades em tudo o que lhe acontece, quer dizer, a culpa do que lhe acontece de errado não está nos outros.

Construímos nosso destino com aquilo de que dispomos, com o dinheiro que ganhamos, com o DNA que herdamos, com a educação que recebemos, com os amigos que fazemos. Seguimos (ou não) um mapa inconsciente que desenhamos com o nosso eu interior, e que mostra para onde apontam nossos propósitos e intenções mais profundos. Se ignoramos o mapinha e vamos para onde o mar da rotina e do conformismo nos leva, isto é nossa responsabilidade e não devemos acusar os outros por isto.

Voltando ao Natal, para sua decisão, busque aquilo que lhe é possível neste momento, mas procure perceber aquilo de positivo que traz união à sua família. E expresse o que você sente, seja por palavras, por um abraço, um tapinha nas costas, um sorriso. O espírito de Natal, afinal, é constituído pela união de nossos corações.

Feliz e expressivo Natal! Paz em seu coração!

Artigo publicado originalmente na Revista Personare.


Casa e Família

Você gosta de Natal em família?

Reflita se você escolhe onde passar essa data por prazer ou obrigação

2 dezembro, 2010

De onde vem essa bactéria?

Posted in saúde às 5:57 pm por Marcelo Guerra

Cientistas encontraram em um lago na Califórnia uma espécie de bactéria que contraria tudo que se conhecia sobre a química dos seres vivos. O anúncio da descoberta, que será objeto de uma conferência na NASA na tarde desta quinta-feira, foi adiantado devido a uma onda de boatos que invadiu a internet nos últimos dias , depois que a agência espacial americana convocou a reunião com a imprensa. Muitos acreditavam que a NASA iria anunciar ter encontrado sinais de vida em Titã, uma das luas de Saturno.

Embora mais prosaica que a confirmação do primeiro ET, a notícia ainda representa um grande avanço para a astrobiologia, ciência que visa investigar o possível desenvolvimento de vida fora da Terra. A bactéria em questão pode se alimentar e até incluir em seu DNA o venenoso arsênico como substituto do fósforo. Até a descoberta deste microorganismo, todos os seres vivos conhecidos tinham como base os mesmos seis elementos – carbono, oxigênio, hidrogênio, nitrogênio, enxofre e fósforo. Com isso, amplia-se muito a gama de ambientes em que os cientistas podem encontrar vida, seja na Terra ou no espaço.

– Nossas descobertas são uma lembrança de que a vida como conhecemos pode ser muito mais flexível do que presumimos ou podemos imaginar – diz Felisa Wolfe-Simon, bioquímica, integrante do Instituto de Astrobiologia da Nasa e principal autora do estudo, publicado na edição desta semana da revista “Science”. – Se algo aqui na Terra pode realizar uma coisa tão inesperada, o que mais a vida pode fazer em locais que ainda não conhecemos? É hora de descobrirmos – completa.

Senado aprova puericultura proposta pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pela senadora Patrícia Saboya

Posted in saúde às 5:41 pm por Marcelo Guerra

Mais uma proposta da parceria entre a SBP e a senadora Patrícia Saboya foi aprovada ontem pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, em caráter terminativo e seguirá para análise da Câmara dos Deputados. O projeto de lei 228/08 estabelece normas para o atendimento médico da criança e do adolescente pelos planos e seguros de saúde. “Juntamente com o PL 227/08, já aprovado anteriormente pelo Senado e voltado para o SUS, consagra a puericultura como um direito, com seu caráter educativo e preventivo e realizada por pediatra”, salienta o dr. Dioclécio Campos Jr., diretor de Assuntos Parlamentares da Sociedade. “O Congresso Nacional mostra, mais uma vez, sua preocupação com a infância e a adolescência brasileiras. A decisão é histórica e a senadora Patrícia e seus colegas estão de parabéns”, comemora o dr. Eduardo Vaz, presidente da SBP. “É a garantia de uma assistência de qualidade para a criança, que continuará sendo realizada pelo profissional especializado em fase tão importante, que é a do crescimento e do desenvolvimento do ser humano. A conquista demonstra evolução da sociedade e é fruto da mobilização da SBP e do conjunto dos pediatras do País”, assinala o dr. Dioclécio.

“O projeto prevê a realização de consultas médicas periódicas, como determina a Organização Mundial de Saúde. Esses atendimentos regulares são fundamentais para o desenvolvimento infanto-juvenil, mas ocorre que, muitas vezes, os planos de saúde deixam de fazer os preventivos, só autorizando a assistência nos casos de doença”, explicou a senadora Patrícia. No entanto, “esses cuidados são capazes de evitar diversas enfermidades e internações hospitalares”, ressaltou.

Conheça o projeto – O PL determina que as operadoras dos planos e seguros de saúde cubram os atendimentos preventivos na frequência e na regularidade definidas em função da faixa etária do paciente. Também ordena que garantam a assistência curativa na quantidade e na qualidade necessárias ao diagnóstico e tratamento integral de todos os agravos à saúde de crianças e adolescentes.

De acordo com o texto aprovado, “as ações e os procedimentos para a assistência à saúde da criança e do adolescente serão estabelecidos em protocolos clínico-terapêuticos elaborados pela ANS após oitiva da Sociedade Brasileira de Pediatria e priorizando as ações de promoção da saúde e prevenção de doenças”. Além disso, “os atendimentos médicos de crianças e adolescentes serão feitos por portadores de título de especialista em pediatria reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina, salvo na falta do referido especialista quando for caso de urgência ou emergência”. A vitória demonstra que  “a verdadeira dimensão da infância e da adolescência começam a emergir com clareza no cenário nacional”, finaliza o diretor de Assuntos Parlamentares da Sociedade.