27 junho, 2011

Elementos em Equilíbrio

Posted in acupuntura, medicina chinesa, terapia biográfica às 12:05 pm por Marcelo Guerra

Segundo a Medicina Chinesa, nossa saúde física e psíquica depende do equilíbrio dinâmico entre os 5 elementos (Terra, Fogo, Metal, Água e Madeira). A harmonia entre os órgãos que formam nosso corpo e nossas emoções reflete esse equilíbrio. Quando ele é rompido, sofremos tanto no corpo quanto na alma.

O objetivo dessa vivência é proporcionar atividades que permitam reconstruir a harmonia entre as partes, trazendo paz de espírito e sensação de bem-estar. É como plantar uma semente que depois deverá ser cultivada para que possa haver SAÚDE, em seu sentido mais amplo.

Trabalharemos com aquarela, trabalho biográfico em grupo e atividades corporais.

A coordenação é de Marcelo Guerra, médico homeopata, acupunturista e terapeuta biográfico.

O local é o Morgenlicht, localizado em Bom Jardim, próximo a Nova Friburgo.

A data é de 19 a 21 de agosto de 2011.

O preço é R$800,00, o que inclui a vivência em si, a hospedagem em quartos duplos no próprio local, a alimentação durante o período e o deslocamento do Rio de Janeiro e Niterói até o Morgenlicht (ida e volta).

A inscrição será efetivada com o depósito de R$250,00 no Banco do Brasil ag. 0107-4 conta 20222-3 e a diferença (R$550,00) poderá ser dividida em 2 parcelas no evento, com cheques pré-datados. O mínimo de participantes será de 8 pessoas e o máximo, 12. Atenção: para inscritos até o dia 10 de julho de 2011 haverá um desconto, e o preço será R$750,00, sendo a 1ª parcela de R$250,00. Não haverá devolução da taxa de inscrição em caso de desistência do participante. Nos reservamos o direito de cancelar o curso se não houver o número mínimo de inscritos (neste caso, devolveremos imediata e integralmente o valor das inscrições).

Escreva para marceloguerra@terapiabiografica.com.br para mais informações. Ou ligue para (21)7697-8982.

Clique aqui para fazer sua inscrição agora.

16 agosto, 2010

Acupuntura e reiki têm novos estudos

Posted in acupuntura às 3:53 pm por Marcelo Guerra

Pesquisadores avaliam efeitos e mecanismo de terapias alternativas em animais de laboratório

Pesquisas recentes comprovam efeitos benéficos e até encontram explicações científicas para acupuntura e reiki. Estudos sobre o assunto, antes restritos às universidades orientais, ganharam espaço entre pesquisadores americanos, europeus e até brasileiros. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma denominação especial para esses métodos: são as terapias integrativas.

Um artigo exmecanismo da acupuntura contra a dor foi publicado por pesquisadores da Universidade de Rochester na revista Nature Neuroscience em 30 de maio. Criada há quatro mil anos, a prática consiste na aplicação de agulhas em pontos do corpo. Pela explicação tradicional, ela ativa determinadas correntes energéticas para equilibrar a energia do organismo.

Cientificamente, as agulhas teriam efeitos no sistema nervoso central (cérebro e espinha dorsal). As células cerebrais são ativadas e liberam endorfina, um neurotransmissor responsável pela sensação de relaxamento e bem-estar. O estudo dos nova-iorquinos descobriu uma novidade: a terapia, que atinge tecidos mais profundos da pele, teria efeitos no sistema nervoso periférico. As agulhas estimulam também a liberação de outro neurotransmissor, a adenosina, com poder antiinflamatório e analgésico.

No experimento com camundongos com dores nas patas, cientistas aplicavam as agulhas no joelho do animal. Eles constataram que o nível de adenosina na pele da região era 24 vezes maior do que o normal e que houve uma redução do desconforto em dois terços.

A equipe tentou potencializar a eficácia da terapia, colocou um medicamento usado para tratar câncer nas agulhas. A droga aprimorou o tratamento: o nível de adenosina e a duração dos efeitos no organismo dos aniamis praticamente tripliquase triplicou e o tempo de duração dos efeitos no organismo dos ratos também triplicou. Mas este método não poderia ser feito em humanos porque o medicamento ainda não é usado clinicamente. “O próximo passo é testar a droga em pessoas, para aperfeiçoá-la ou para encontrar outras drogas com o mesmo efeito”, diz Maiken Nedergaard, coordenadora do estudo.

Reiki

Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.

Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo “impostação”, os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas.

“Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como ‘energia sutil’, de natureza não esclarecida pela física atual”, diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houve diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.

A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. “Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”. O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apnéia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.

Fonte: Revista Galileu

6 junho, 2010

Caminho Bioquímico de Analgesia pela Acupuntura

Posted in acupuntura, saúde às 12:55 pm por Marcelo Guerra

Há muito tempo sabemos que a Acupuntura trata (e muito bem!) a dor, mas como ela faz isso é um mistério. A explicação clássica é a de que as agulhas redistribuem o qi, como os chineses chamam a energia vital, que flui pelos meridianos, tirando o que está em excesso em algum órgão ou região, e levando para onde está em falta. Esta explicação não é suficiente para os modelo biomédico ocidental, e pesquisas têm sido feitas para buscar novas explicações.

Esta semana a revista Nature Neuroscience publicou o resultado de uma pesquisa realizada com ratos geneticamente modificados, que comprova a mobilização de um neurotransmissor chamado Adenosina A1. Ratos modificados geneticamente para serem resistentes à Adenosina sentiam dor ao serem estimulados, mesmo após a inserção de agulhas em áreas próximas ao estímulo. Já os ratos que não forma modificados, portanto continuavam sensíveis à Adenosina, paravam de sentir dor após inserção de agulhas em áreas próximas à do estímulo doloroso. Nos tecidos próximos à inserção das agulhas de acupuntura houve um aumento na concentração de Adenosina, o que levou os cientistas à conclusão de que a Adenosina seria o neurotransmissor envolvido na resposta analgésica que a Acupuntura oferece aos pacientes.

Fonte: Nature Neuroscience

17 fevereiro, 2010

Acupuntura é o tratamento mais eficaz para cólicas menstruais

Posted in acupuntura às 9:50 pm por Marcelo Guerra

>>Esta é mais uma das pesquisas que comprova a eficácia da acupuntura.

HONG KONG – A acupuntura pode ajudar a aliviar cólicas menstruais, distúrbio que atinge cerca de 50% das mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo. Na análise de 27 estudos feitos com mais de 3 mil mulheres, pesquisadores coreanos descobriram que as agulhadas podem ser mais eficazes do que analgésicos e suplementos naturais.

“Temos agora bastante evidência de que a acupuntura pode ser usada para tratar a dor, pois ela estimula a produção de endorfinas e serotonina no sistema nervoso central”, divulgaram em nota os pesquisadores do Oriental Hospital at Kyung Hee University Medical Centre, na Coreia do Sul.

O estudo, que foi publicado na última edição do periódico “Journal of Obstetrics and Gynaecology”, mostra que, comparado aos analgésicos convencionais e os suplementos naturais, a acupuntura diminui a dor de forma mais eficaz. O órgão americano National Institutes of Health (NIH) recomenda a acupuntura como uma das formas de controlar a dor causada pelas cólicas.

Fonte: O Globo

27 fevereiro, 2009

Acupuntura é melhor do que aspirina contra dores de cabeça, diz estudo

Posted in acupuntura, saúde às 10:46 am por Marcelo Guerra

A acupuntura, tradicional terapia chinesa com agulhas, funciona melhor do que medicamentos analgésicos, como a aspirina, para reduzir a severidade e a freqüência de dores de cabeça crônicas, segundo estudo da Universidade de Duke, nos Estados Unidos.

De acordo com os especialistas, “a acupuntura está se tornando uma opção favorável para uma variedade de propósitos, que vão desde melhorar a fertilidade à redução da dor pós-operatória, porque as pessoas experimentam significativamente menos efeitos colaterais e ela pode ser uma opção menos cara do que as outras”, disse o pesquisador Tong Joo Gan, líder do estudo.

Avaliando, a partir de 32 estudos, dados de cerca de 4 mil pacientes com enxaqueca, cefaléia tensional e outras formas de dor de cabeça crônica, os pesquisadores descobriram que, enquanto 62% dos pacientes tratados com acupuntura apresentaram alívio, apenas 45% daqueles que tomaram medicamentos tiveram essa melhora.

Além disso, a acupuntura verdadeira se mostrou mais eficaz também do que a falsa (cujas agulhas são colocadas em pontos não terapêuticos), mostrando que o alívio não acontece por efeito placebo. Cerca de 53% daqueles submetidos à técnica verdadeira tiveram melhoras, contra apenas 45% daqueles que fizeram a “falsa” acupuntura.

Os resultados mostraram que eram necessárias cinco ou seis sessões para os pacientes conseguirem algum alivio. “A análise reforça que a acupuntura é uma fonte bem sucedida de alívio para dores de cabeça crônicas”, concluíram os pesquisadores.

Fonte: Anaesthesia and Analgesia. 2008

5 fevereiro, 2009

Homeopatia e Acupuntura para Plantas

Posted in acupuntura, homeopatia às 12:18 pm por Marcelo Guerra

i72786

As terapias alternativas têm ganhado terreno em jardins, hortas e plantações orgânicas. Para os especialistas, práticas terapêuticas como a homeopatia e a acupuntura atingem os mesmos resultados que os defensivos agrícolas, sem causar danos ambientais. Tanto um tratamento quanto o outro partem do princípio de que é necessário reequilibrar as plantas energeticamente para que elas tenham viço e produzam flores e frutas em abundância. Maria do Carmo Arenales, bióloga e veterinária de São Paulo, lembra que a homeopatia já é feita há anos em animais e segue os mesmos princípios para hortas e jardins. “É possível tratar pragas e patologias causadas por bactérias, vírus e fungos unicamente com ela”, afirma.
Plantas doentes respondem melhor à homeopatia, enquanto o crescimento estagnado e a ausência de flores e frutas devem ser tratados com acupuntura, que consiste na aplicação de agulhas ou pregos nas intersecções dos galhos. A Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, foi uma das pioneiras no estudo da homeopatia vegetal no Brasil. “Ela é capaz de estimular o sistema de defesa das plantas”, explica a agrônoma Fernanda Maria Coutinho de Andrade. Só em Viçosa, já foram defendidas 22 teses de mestrado e doutorado sobre o tema. A arquiteta e paisagista Aline Najar, de São Paulo, que ministra cursos de homeopatia e acupuntura para vegetais, defende que as terapias alternativas são uma forma mais responsável de tratar o meio ambiente. “Percebi que havia espaço para tratamentos que pudessem substituir os agrotóxicos”, diz. Cerca de 70% dos clientes da paisagista preferem tratar suas plantas e jardins com essas práticas. “A escolha do medicamento e da aplicação é muito criteriosa e específica, porque é preciso avaliar quais fatores levaram a planta a se ressentir”, afirma Aline.
As terapias devem ser acionadas quando as condições básicas (adubação, luz e irrigação) estão sendo satisfeitas mas, mesmo assim, a planta parou de se desenvolver. “Entre sete a dez dias depois da aplicação, você já vê resultados. Vegetais que estavam estagnados, por exemplo, passam a dar flor.” Coincidir com a época de floração pode ajudar, dizem os especialistas. Tudo em prol de um jardim saudável e sustentável.

Fonte: IstoÉ

17 dezembro, 2008

Acupuntura em gatos

Posted in acupuntura tagged , às 3:00 pm por Marcelo Guerra

Gatos que sofrem de asma têm sido tratados com acupuntura, segundo o jornal inglês “Daily Mail”. A sul-africana Virginia Sanders foi uma das que optou pelo tratamento alternativo para o seu gato siamês Kiki, de 11 anos.
Conforme o “Daily Mail”, Sanders optou pelo tratamento alternativo, pois estava preocupada que o tratamento convencional com injeções de cortisona pudesse prejudicar o fígado de seu animal de estimação.
Segundo ela, um veterinário recomendou a utilização do tratamento não convencional. Para o veterinário Barry Hindmarch, tratamentos alternativos podem ser usados em animais para aliviar lesões de pele, artrite crônica e problemas renais.
De acordo com a reportagem do jornal, um gato que sofria de asma e tosse há três anos teria sido curado com o tratamento alternativo, após os tratamentos tradicionais não terem surtido efeito.

11 junho, 2008

Marcelo Guerra

Posted in acupuntura, antroposofia, fitomedicina, fitoterapia, homeopatia, medicina, nova friburgo, psicoterapia, saúde, terapia biográfica, teresópolis tagged às 11:04 am por Marcelo Guerra

Marcelo Guerra, médico

Sou Médico, comecei a carreira como Psicanalista e depois enveredei pela Homeopatia, que permitiu um entendimento integral do ser humano, como corpo e mente juntos, e não como um ser formado de duas partes que estão sempre em luta. Através da Homeopatia, cheguei à Antroposofia, na qual a Terapia Biográfica é baseada, e aí encontrei respostas para a questão do sentido na vida do ser humano. Outras fontes que estudo para a compreensão do sentido são os textos de Viktor Frankl, Carl Gustav Jung, Leonardo Boff e Joseph Campbell, autores que trouxeram uma nova luz para a Psicoterapia. Endereços de Atendimento: Homeopatia, Acupuntura e Terapia Biográfica Praça Baltazar da Silveira, 20/ sala 104 (Clínica de Tratamento Natural) Centro – Teresópolis – RJ Tel: (21)2742-5940 Homeopatia e Acupuntura Praça Marcílio Dias, 56, Paissandu – Nova Friburgo – RJ Tel: (22)2523-9342 Terapia Biográfica Rua Ernesto Brasílio, 14, sala 408 – Centro – Nova Friburgo – RJ Tel: (22)8112-4983

4 junho, 2008

Acupuntura é eficaz no alívio da dor e da fadiga em pessoas com câncer

Posted in acupuntura, doença, dor tagged às 12:16 pm por Marcelo Guerra

Maria Vianna – O Globo Online*

CHICAGO – Sessões regulares de acupuntura durante o tratamento contra o câncer ajudam a aliviar sintomas como a dor, a fadiga e a boca seca, ou xerostomia, comuns em pacientes que se submetem a quimioterapia e radioterapia. É o que afirma o oncologista David Pfister, um dos coordenadores do Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, em Nova York, no congresso anual da Sociedade Americana de Oncologia Clinica, em Chicago. Estudos anteriores já apontavam que a técnica oriental ajudava a controlar reações adversas como náusea e vômitos. O médico, que acompanhou um grupo de pacientes que havia feito cirurgia para a retirada de tumores e que se submeteu a quimioterapia durante três meses, chegou à conclusão de que a aplicação das agulhas em pontos específicos do corpo como os dedos indicadores, a testa e as pernas, é mais eficaz do que antiiflamatórios, analgésicos e fisioterapia na hora de aliviar a dor dos pacientes. — A qualidade de vida e o bem-estar do paciente são duas coisas difíceis de julgar, já que elas são individuais e subjetivas, mas nós, como médicos, devemos indicar todo tipo de tratamento adjuvante que possa aliviar a dor do paciente com câncer. Embora os remédios sejam indiscutivelmente úteis, eles ainda não são totalmente eficazes na hora de aliviar o desconforto do paciente durante a quimioterapia e a radioterapia, principalmente no caso da boca seca – explica Pfister. O grupo submetido a sessões de acupuntura teve uma melhora nos sintomas de dor e boca seca 39% maior do que o grupo que fez o tratamento convencional com medicamentos e sessões de fisioterapia.

3 novembro, 2007

Medicina é Arte

Posted in acupuntura, arte, ervas medicinais, fitomedicina, fitoterapia, homeopatia, medicina, medicina alternativa, medicina natural, medicina preventiva, plantas medicinais tagged , , , , , às 2:35 pm por Marcelo Guerra

traditional_chinese_medicines___plant_extracts.jpg

No dia 30/10/2007 foi divulgada a notícia de que cientistas britânicos estão estudando a composição química dos fitoterápicos (remédios à base de plantas) chineses. A notícia foi saudada como uma grande revelação, como um aval para a sua utilização.

Ora, uma terapêutica em uso há mais de 2.000 anos, com sucesso no tratamento de bilhões de pessoas de precisa do aval de quem, cara pálida?

A mídia tende a confundir ciência com medicina. Isto é um engano! A medicina é uma arte e, como tal, vale-se de conhecimentos científicos,diferentes técnicas e conhecimentos acumulados pela prática de grandes médicos através da história e transmitidos de geração para geração.

O ser humano é por demais complexo para enquadrar-se ao saber científico sistematizado que, na história da humanidade, ainda engatinha. Muito do que se afirma científico hoje é baseado em hipóteses, que são apresentadas ao público leigo como verdades científicas. Daí a constante mudança de posições da ciência, pois as hipóteses, uma vez testadas em milhões de pacientes, muitas vezes mostram-se inúteis ou perigosas (lembra-so do Vioxx?).

A busca aumentada por medicinas alternativas na atualidade é também fruto da pretensa “cientificidade” da medicina alopática. O uso de tecnologias cada vez mais sofisticadas e o tratamento impessoal que os médicos alopatas dispensam aos seus pacientes, geraram o desejo de uma atmosfera mais humana e compreensiva por parte dos médicos. E este desejo encontrou ressonância nas medicinas alternativas, como homeopatia, acupuntura, terapia floral, etc.

Um problema sério entre as medicinas alternativas é o despreparo de muitos profissionais, que acreditam poder resolver tudo com sua intuição. Várias modalidades exigem formação adequada, e você precisa certificar-se de que o profissional que você pretende consultar é habilitado por uma instituição qualificada.

Portanto, lembre-se: a MEDICINA é ARTE, mas o artista tem que estar realmente preparado!

Próxima página